Contagem de carboidratos para diabéticos

Sharing is caring!

A contagem de carboidratos serve para auxiliar o diabético a planejar suas refeições de uma maneira que consiga contar a quantidade exata de carboidrato a ser consumido, dessa forma quem tem diabetes consegue controlar melhor os níveis de glicose no sangue e manter a glicemia dentro das normalidades.

Porque contar os carboidratos?

Porque os carboidratos têm um maior efeito na glicemia elevando as taxas de glicose mais rapidamente.

O que são carboidratos?

São nutrientes que se transformam em glicose muito rapidamente e em maior quantidade para gerar ou armazenar energia.

Quais alimentos possuem carboidratos?

Pães, biscoitos, cereais, farinhas, batata, mandioca, massas, arroz, grãos, leguminosas, frutas, leites, iogurtes, mel, açúcar e doces em geral.

Carnes e gorduras não possuem carboidratos, mas seu consumo em excesso aumenta a glicemia, pois partes das proteínas convertem-se em carboidratos.

Diabéticos tipo 2 precisam fazer uma dieta balanceada para o controle da doença, de preferência consumir a mesma quantidade de carboidratos nas refeições todos os dias, pois quem faz o uso de remédio oral não tem a liberdade de consumir carboidratos a vontade, o que resultaria em uma elevação dos níveis de glicose no sangue. 

A contagem de carboidratos nesse caso também é bem vinda, pois se alimentando da mesma quantidade de carboidratos todos os dias fica mais fácil controlar a glicose no sangue, mesmo porque, consumir carboidratos em exagero resultará no aumento da glicose (hiperglicemia) e consumir pouco carboidrato irá fazer com que os níveis de glicose no sangue baixem demais (hipoglicemia).

Diabéticos tipo 1 precisam controlar a glicose com o uso de insulina, em alguns casos diabéticos tipo 2 também necessitam do uso desse hormônio.

Diabéticos tipo 1 que fazem uso de 2 tipos de insulina, intermediária (NPH) e a de ação rápida (regular), devem ter horários fixos para se alimentar e sempre consumir a mesma quantidade nas refeições, fazendo a contagem de carboidratos, a fim de conseguir um melhor controle glicêmico e evitar hipoglicemias, mesmo porque essas insulinas tem um pico de ação maior em algum horário do dia.

Já quem faz uso de dois tipos de insulina ex: ação lenta e ultra rápida, ou de ação lenta e rápida, tem mais liberdade para consumir alimentos fazendo a contagem de carboidratos, nesse caso a contagem é feita utilizando a insulina de ação rápida ou ultra rápida. 

Fazendo a contagem de carboidratos:


A regra geral a ser seguida é 1 unidade de insulina rápida ou ultra rápida para cada 15 gramas de carboidrato.

No caso de crianças a regra é de 1 unidade de insulina para cada 20 a 30 gramas de carboidrato.

Sempre converse com seu médico para verificar qual o tipo de tratamento é melhor para seu caso.

Para contagem de carboidratos, some todos os carboidratos a serem consumidos e divida o valor por 15 (razão da insulina que o médico passou), Ex. 35 gramas de carboidrato dividido por 15 = 2,33 unidades de insulina.

Como não conseguimos aplicar 2,33 de insulina, arredondamos para menos, ou seja, 2 unidades de insulina.

Quando o número depois da vírgula for até 0,5 arredonde para para menos e quando for acima de 0,5 arredonde para mais.

Para saber a quantidade de carboidratos de uma refeição, você deve ler os rótulos dos alimentos, a informação nutricional vem prescrita na embalagem, veja a quantidade por porção e a quantidade de carboidratos que a porção fornece.

Exemplo: porção de 50 gramas (2 fatias) fornece 22 gramas de carboidratos.

Quando o alimento não possui a tabela nutricional, você pode consultar um manual de contagem de carboidratos.

Não confunda carboidrato com o peso do alimento em gramas ou com as calorias. Para a contagem é utilizado o valor do carboidrato CHO (g).

É importante sempre checar a glicemia antes e duas horas após as refeições para verificar se a contagem dos carboidratos está dando certo.

Bolus de correção:

Se por algum motivo sua glicemia antes da refeição estiver um pouco alta, sua glicemia após refeição também ficará, nesse caso é necessário fazer um ajuste da dose de insulina, uma correção.

Converse com seu médico sobre a dose certa de insulina para correção da glicemia pré prandial.

Um exemplo de bolus de correção é utilizar 1 dose de insulina para baixar 50 de glicose.

1 dose de insulina reduz 50 no valor da glicose.

Se a glicemia estiver 200 antes da refeição, será necessário aplicar 2 unidades de insulina ultra rápida para reduzir 100 de glicose, além de aplicar as doses necessárias para a contagem do carboidrato a ser consumido.

Cada paciente necessita de uma quantidade dose de insulina diferente para corrigir a glicemia pré prandial, por isso é importante verificar com seu médico sua dose correta.

Veja também Quantas calorias são necessárias, por dia, para perder peso

Comentários
shares