A História por trás do berço de bebê

Sharing is caring!

Um dos primeiros itens do enxoval do bebê que está para chegar é o berço. Ele é um item simbólico e tradicional que há muitas décadas é o móvel utilizado por bebês do mundo inteiro.

Prova disso é que as primeiras referências históricas de berços antigos datam de milhares de anos, e variam muito quanto à forma e material empregado para sua construção.

Em livros de história podemos encontrar os primeiros relatos da existência de berços no Egito Antigo (confeccionados em tecidos e juncos e até esculpidos em troncos) e também relatos de berços de madeira (Cédro e Ébano) para bebês faraós.

Já os nativos americanos embalaram seus bebês em diversos estilos diferentes, como berços de casca, berços de pele, berços de lattice, de cestos e muitos mais. O estilo mudava conforme a localização geográfica da tribo e era influenciado pelos materiais disponíveis para construção.

Os primeiros berços antigos produzidos da maneira que hoje conhecemos são de 1600. Esses berços já eram produzidos em madeira e entalhados a mão e como eram raridade ficavam reservados as famílias mais nobres e ricas.

Eram feitos com tanta qualidade e bons materiais que sua durabilidade permitia que os berços passassem de geração em geração da mesma família.

Para as famílias de baixa renda o mais comum era a utilização de cestos que eram adaptados para que os bebês pudessem dormir.

O berço da imagem abaixo é um típico exemplo de mobiliário de luxo datado de 1700 e feito na Ásia. O design é clássico europeu, mas os materiais usados pelo então marceneiro indiano se adaptou a matéria prima oriental como o marfim e o ébano.

As imagens decoradas remetem a figuras hindus como a criatura mítica Makara (parecida com um peixe).

Já o próximo modelo de berço está exposto no Palácio Nacional de D Luís e Maria Pia em Portugal e é datado da segunda metade do século XVII tendo pertencido ao príncipe D. Carlos.

Com estrutura em madeira nobre e cortinas em tule bordado à mão, o berço em formato oval era moderno para a época, e seu design permanece até os dias de hoje como opção de berço diferente para as mamães mais ousadas.

O próximo berço foi produzido em 1811 e vem a ser um dos mais famosos do mundo. Tudo isso porque foi encomendado por Napoleão Bonaparte para seu único filho legítimo.

Feito mogno com ornamentações em bronze as placas contidas nele representam as eperanças do monarca em relação a criança.

De um lado vemos representado o duplo império que Napoleão desejava (O Rio Tibre e as armas de Roma) e do outro lado podemos ver o Rio Sena e as armas de Paris.

Na cabeceira e nos pés, observam-se as figuras representando a paz e a justiça. O berço encontra-se hoje em Viena e é um dos mais belos exemplos do mobiliário francês produzido no Primeiro Império de Napoleão.

Este outro batizado de Rubi Luxist datado do século 18 é entalhado em madeira maciça, coberto em ouro e definido com mais de 2.000 pedras preciosas, incluindo diamantes, rubis e esmeraldas. Está atualmente em exibição em Tóquio em uma exposição especial que inclui cerca de 140 outros tesouros antigos do Império Otomano (que veio antes da República da Turquia).

Atualmente podemos ver diversos tipos e modelos de berços entre eles o berço portátil que além de leve e fácil de transportar, pode ser guardado em diversos locais.

Gostou do texto?

Deixe seu comentário e compartilhe o conteúdo em suas redes sociais.

Comentários
shares